terça-feira, 27 de abril de 2010

Aprendendo a dar prazer.


Como professora não poderia deixar transparecer meu interesse por ele, mas como mulher, não podia evitar admirá-lo em silêncio, e de trazê-lo muitas vezes pros meus mais íntimos sonhos, ele mexia com minha libido e meus pensamentos, sozinha em casa me permitia pensar e me imaginar naqueles braços musculosos, acariciando o peitoral definido e escutando sussurros ao pé do ouvido, sentindo suas mãos grandes a percorrer toda extensão do meu corpo, e me fazer delirar de prazer.
Naquele dia precisei ficar até mais tarde na escola, e a rua se encontrava esquisita ao sair, caminhei atenta e temerosa tentando chegar ao local onde deixara o carro, a sensação de que alguém me observava me amedrontava ainda mais, até que de súbito sinto quando pegam na minha mão, me sinto quase desfalecer, mas a voz rouca me fez reconhecer o meu aluno, enquanto ele me dizia, que já estava tarde para andar sozinha por aquelas redondezas, e passou a andar ao meu lado. A presença dele ali, me levava a pensamentos que eu não deveria ter e meu corpo instantaneamente reage a isso, os braços arrepiados e bicos dos seios intumescidos me denunciam, e ele não disfarçou por nenhum minuto que notou isso.
Colocando-se cada vez mais próximo a mim, ele passa o braço nos meus ombros de forma protetora, quando um grupo de rapazes passa por nós e me solta uma piada, mas não retira mesmo depois deles terem se distanciado, e sua mão no meu ombro passa faceiramente a acariciar meu pescoço.
De longe avisto o meu carro e indico onde está, ao aproximar, tento me desvencilhar do abraço, e dirigir-me a porta, mas ele impede que eu abra, me encostando no carro de frente pra ele, enquanto coloca um braço de cada lado do meu corpo, vai colando aos poucos seu corpo ao meu, e aproximando sua boca da minha, nesse momento esqueço qualquer empecilho, e levo a minha ao seus pescoço puxando-o para o tão esperado beijo, sua boca cola a minha e sua língua força entrada por entre meus dentes e passa a explorar todos os recantos da minha boca de forma sensual, deslizo minhas mãos do seu pescoço para sua cintura na intenção de aproximá-lo ainda mais do eu corpo, como se isso fosse possível.
Continua...

Para ler todo o conto clique: Aqui

0 Sentiram na Pele:

© Copyrigth 2009 Danny Montenegro Por Desejo a Flor da Pele
Todos os direitos reservados