segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

No Hotel Fazenda


Faço meu desjejum e numa caminhada descompromissada e sem pressa, me dirijo ao estábulo. Será que escolhi a roupa certa para montaria? Afff... até aqui essa dúvida sempre me perseguindo... mas uma calça jeans, camisa branca... com decote claro... não sei viver sem uma roupa decotada... e botas de salto. Outra peça indispensável no meu guarda-roupa, os saltos altos. Afinal, me considero baixinha, 1,72 de altura... nanica! Se quero me esconder, aí sim dispenso o uso deles... rsrsrsrs... me pego rindo sozinha dos meus pensamentos... Cabelos, ah! Meus cabelos eu acertei... amarrei-os num rabo-de-cavalo, prático e não iriam me incomodar na hora de andar por aí... que coincidência...à cavalo. Meus cabelos bem lisos e compridos, qualquer brisinha, me deixa parecendo uma boneca descabelada...
Chegando no estábulo, tenho que bater palmas... ninguém a vista. Ué?
Quando se abre uma porta e sai de dentro de um escritório, acho... meu coração quase parou...
- Tu?
- É...eu! Surpresa?
- Nossa, quase não te reconheci com esse chapéu no lugar do capacete...rsrsrsrs
- É... administro aqui nas minhas horas vagas. Desculpe... mas acho que não nos apresentamos ontem. Prazer, Davi.
- Muito prazer, Marina. E que prazer... tu nem imagina o prazer que me proporcionou ontem a noite...rsrsrs
Nossas mãos ao se encontrarem... que aperto de mão. Tudo que eu gosto, homem com mão grande e um aperto firme... sinal de que sabe muito bem o que fazer com as mãos no quesito sexo.
- Bom... to querendo dar uma volta a cavalo. Algum disponível?
- Claro... uma égua bem dócil.
- É... tem que ser dócil mesmo... selvagem só em outros assuntos. – e dei uma risadinha de canto de boca. Juro que não foi intencional a piadinha...
- Comigo não tem dessas. Tudo que cai nas minhas mãos, pode ser a mais selvagem das criaturas... mas logo logo fica mansinha. – Tóin... fui fazer piadinha, recebi na mesma moeda.
- Venha deixa eu te apresentar a algumas delas e você escolhe...
Me puxou pela mão e me levou para dentro.
Ao me apresentar à Charmosa...
-Ela tem esse nome porque é bem dócil! – e se aproximou de mim para acarinhar o focinho da égua e sem querer... ou querendo encostou seu corpo inteiro ao meu.
Como que por impulso, baixo minha cabeça e sinto sua respiração quente no meu pescoço, e escuto sua voz forte, mas ao mesmo tempo suave no meu ouvido: - O que tu ta fazendo comigo, tesão de mulher!
Sinto sua boca na minha pele, sua mão me enlaça pela cintura e a outra segura meu pescoço... como se estivesse me prendendo ali, pra eu não fugir... como se eu quisesse fugir! Seguro sua mão, e juntas vão subindo da minha cintura para meu seio, que está ouriçado, arrepiado, biquinho duro. Num único gesto, me vira e encontra minha boca... que estava sedenta pela dele, e sua língua percorre todos os cantinhos da minha, ora suave, ora com uma ânsia. Minhas mãos deslizam pelo seu peito e encontram os botões abertos da camisa, ao que meus dedos passeiam entre seus pêlos. Seu corpo cola mais ainda ao meu e sinto-o ereto, firme, pressionando minhas coxas, como se quisesse me possuir ali, agora...
E como num lampejo de lucidez... me afasto...
- Que loucura!
- Loucura!!! Desculpa... não sei o que me deu...
- Não... loucura a gente fazer isso aqui...
Um sorriso acendeu-se naquele rosto,,, rosto que me deixava totalmente inebriada, tomada de tesão...

Continua...

Para ler todo conto clique:
Aqui
Por: Viviane

2 Sentiram na Pele:

Di disse...

Adoro o seu blog!!
E deixei um selinho pra ele lá no cantinho da Di.
bjinho

VA7372 disse...

Arrebatador.
http://www.va7372.blogspot.com/

Beijos doces
J.

© Copyrigth 2009 Danny Montenegro Por Desejo a Flor da Pele
Todos os direitos reservados